“Não é um adeus, é um até logo”, diz Serra após o resultado

Ao lado da cúpula do PSDB e de sua mulher, o candidato derrotado á presidência José Serra fez o seu primeiro pronunciamento após os resultados das urnas na noite deste domingo (31) no comitê de sua campanha, no centro de São Paulo. Na mensagem, Serra disse não faz uma despedida após a dura campanha dos últimos sete meses, mas um “até logo”, destacando que a oposição dará sua contribuição para o desenvolvimento do País.

“Para os que nos imaginam derrotados, eu quero dizer que nós apenas estamos começando uma luta de verdade. Nós estamos no começo do começo. Nós vamos dar nossa contribuição ao País em defesa da Pátria, da liberdade, da democracia, do direto que todos temos de falar e serem ouvidos, da justiça social. Vamos dar a nossa contribução como partidos, da nossa frente de partidos, como indivíduos, como parlamentares, como governadores. Essa será a nossa luta dos próximos anos. Por isso, a minha mensagem não é de despedida nesse momento. Não é um adeus, é um até logo”, disse.

Serra ainda agradeceu aos 43,6 milhões de votos recebidos no segundo turno. “Quis o povo que não fosse agora, mas digo aqui de coração que sou muito grato aos 43 milhões e 600 mil votos dos brasileiros e brasileiras que votaram em mim. Sou muito grato a todos e a todas que colocaram um adesivo, uma camisa, e que carregaram um bandeira com Serra 45. Meu imenso muito obrigado a todos vocês de todo nosso País”. O tucano ainda citou os jovens, que segundo ele, lhe ajudaram com “energia” durante a campanha.

Serra também cumprimentou a candidata eleita Dilma Rousseff, e desejou que ela “faça bem para o nosso País”.

Marina Silva parabeniza a presidente eleita Dilma pelo Twitter

A candidata derrotada do PV à presidência da República, Marina Silva, parabenizou, pelo Twitter, a presidente eleita Dilma Rousseff (PT), na noite deste domingo (31). “Quero parabenizar a ministra Dilma duas vezes. Por sua eleição como presidente e por ser a primeira mulher eleita para o cargo na República”, postou a ex-ministra.

 

Logo em seguida, a candidata do Partido Verde, derrotada no primeiro turno, tuitou: “Esta eleição é uma festa de democracia. Ela possibilita a escolha daqueles que vão dirigir os rumos do País”. Para Marina, Dilma era uma candidata de “uma parte dos brasileiros” e, “a partir de agora, é a presidente eleita de todos nós”, para os próximos quatro anos.

Ainda pelo microblog, Marina desejou “que Deus lhe dê força e sabedoria para conduzir nosso belo País”.

Uma hora depois do fim da votação em todo o País, Dilma Rousseff foi confirmada, matematicamente, como a nova presidente do Brasil. A petista recebeu 55% dos votos, enquanto José Serra (PSDB) teve 44%. O índice de abstenção foi de 21%.

Dilma Rousseff entra para a história como a 1ª mulher presidente do Brasil

Foi preciso pouco mais de uma hora de apuração após o fechamento das urnas em todo o país para que a matemática confirmasse a eleição da primeira mulher à presidência do Brasil. E, às 21h30 deste domingo (31), os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmavam a vitória da candidata petista Dilma Rousseff, com 55,99% doa votos. O total de votos apurados é de 99,14%. José Serra (PSDB) registrou 44,01%. O índice de abstenção atingiu 21,45%.

Dilma é a primeira mulher eleita presidente do Brasil. Nascida em 14 de dezembro de 1947, em Belo Horizonte (MG), a presidente eleita é formada em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e trabalhou na Fundação de Economia e Estatística (FEE). Depois, organizou debates no IEPES (Instituto de Estudos Políticos e Sociais) e, com Carlos Araújo, de quem é divorciada, ajudou a fundar o PDT do Rio Grande do Sul.

Prestes a terminar seu mandato, que durou oito anos, o presidente Lula viu-se incumbido a escolher um dos companheiros petistas para a sucessão no Palácio do Planalto. Preferiu olhar para dentro de seu governo e eleger um de seus ministros. Dilma Rousseff, hoje com 62 anos, ficou conhecida durante a gestão de Lula como “a mãe do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento)”.